O presente como tempo da tradição: a poesia de cordel contemporânea do Maestro Rafael Brito

Maria Gislene Carvalho Fonseca

Resumo


Este trabalho é uma proposta inicial sobre o tema do presente na discussão da tradição, a partir da reflexão sobre a poesia de cordel, olhando para o trabalho do Maestro Rafael Brito, poeta de Fortaleza-CE. Rafael é jovem, escreve diversos tipos de poesia, mas é mais conhecido por sua produção de cordel, a qual ele se refere de modos tradicionais, ainda que a performe utilizando os recursos midiáticos do presente. Discutimos a ideia de tradição, tradições e tradicionalidade a partir das propostas sobre narrativa de Ricoeur (2010) e analisamos o trabalho de Rafael través de entrevistas e do conteúdo de seu blog na Internet. Observamos que o Maestro é visto como uma promessa de futuro deste cordel “tradicional”, ainda que traga inovações da historiografia da poesia. Mas ainda está distante das transformações e de embates políticos que desestabilizariam as narrativas oficiais que reivindicam tradições imutáveis.

Palavras-chave


Cordel. Memória. Tradição. Presente. Maestro Rafael Brito.

Texto completo:

PDF PDF (ENGLISH)


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/rbcc.v44i1.3488