Práticas comunicativas, mídias e tecnologias: estudos cruzados entre Brasil e Angola

Flávia de Almeida Moura, Ed Wilson Ferreira Araújo

Resumo


Apresentamos neste artigo pontos de comparação entre situações estudadas no estado do Maranhão, Brasil, e em três províncias do Sul de Angola: Huambo, Huíla e Benguela. Em ambos os casos, identificamos a coexistência de práticas comunicativas arcaicas, tradicionais e também a utilização de novas tecnologias, como o caso do uso da internet e das redes sociais digitais. Para a análise e interpretação dos casos, utilizamos o arcabouço teórico e metodológico proposto por autores dos estudos culturais, como Raymond Williams (2016) e Stuart Hall (2013) e a representante brasileira, Ana Carolina Escosteguy (2019), além de John B. Thompson (2013) e de Néstor García Canclini (2008). Percebemos, a partir dos casos analisados, que as relações entre tradição e modernidade e de tempo e espaço, por exemplo, são apropriadas pelos sujeitos visando dar conta de suas práticas cotidianas, que podem ou não ser pautadas pela lógica das mídias.


Palavras-chave


Práticas Comunicativas. Estudos Culturais. Tecnologia. Brasil. Angola

Texto completo:

PDF PDF (ENGLISH)


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/rbcc.v44i1.3420