Produções digitais nos 50 anos do Golpe de 1964: especiais multimídias em sites jornalísticos brasileiros

Allysson Viana Martins

Resumo


Os jornais representam uma inscrição da realidade histórica e da memória coletiva de determinada época. Este artigo discute o papel das produções jornalísticas digitais na constituição e na estabilização da história do golpe de 1964, em seus 50 anos, uma vez que as digitalizações da memória e do jornalismo trazem novas configurações para ambos. Averiguam-se as produções dos sites jornalísticos de dois veículos relevantes no período do golpe e de dois nativos digitais. Os especiais concebem, com narrativa padrão, o golpe e a ditadura militar como algo negativo e pernicioso para a história do país, com alguma complacência aos golpistas por G1 e O Estado de S. Paulo; a exceção deste – em que prevaleceram as memórias individuais –, os outros três especiais trazem um tom didático e histórico, com cronologia, fontes e referências.


Palavras-chave


Jornalismo digital. Golpe de 1964. História. Memória. Especiais multimídias.

Texto completo:

PDF PDF (ENGLISH)


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/rbcc.v44i1.3262