Surrealismo, Modernidade e Pós-Modernidade em A Bela da Tarde, de Luis Buñel, e Twin Peaks – Os últimos dias de Laura Palmer, de David Lynch

Daniella Luz, Relivaldo de Oliveira

Resumo


O artigo estuda os filmes A bela da tarde (1967), de Luis Buñuel e Twin Peaks – os últimos dias de Laura Palmer (1992), de David Lynch e suas relações com o surrealismo, a modernidade e a pós-modernidade a fim de identificar as diferenças e possíveis afinidades de ambos. O primeiro estaria ao lado de um estilo narrativo modernista e o outro de um pós-modernista. Constatam-se as distâncias entre as obras, mas igualmente a possibilidade de um pós-modernismo estético que retoma um outro modernista, apesar das diferenças históricas e filosóficas que tendem em separá-los.


Texto completo:

PDF